renatotorres Deixa o teu medo mergulhar no mar
E engole num só trago, deixa te tragar

#perifeérico
1mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Negrume de chuva
O gume d'uma
Lágrima turva

#perifeérico
1mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Fontes da vaga miragem
Viajam vendo no escuro

#perifeérico
1mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Esquecem o que viram
E o que não viram, convertem
Em sonhos, em sumos, em sumidouros

#perifeérico
1mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres A vida é dos que conhecem
O fundo do mar
E das canções

#perifeérico
1mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Tantas direções
A se percorrer
Sobra o teu silêncio
Na distância
Te abrigar
Não mais ser só

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Longe, em qualquer lugar
Sombra sobre o mar
Vem o sol brilhar
Antes de me encontrar
Anda pelo ar, veleja distante

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Eva, relva, paraíso, agasalho
És muito mais que o olho
Pode enxergar, arenoso de sonho

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres A mim só não convém lutar
Contra o silencioso ar
Repleto de sufocamentos
Prefiro semear momentos
A boa ceva de nossos sorrisos

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Teu corpo é a casa primeira
De tua própria primavera

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Vejo teu voo solitário
Cá, do meu chão precário
Cara é, para mim, tua asa

#perifeérico
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Essa cidade que me guarda
Que me mata de saudade
É sempre assim
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres é preciso vir pra cá
e amar o dar, morder maré
2mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Poeta, o teu fado
Tua prosa
Menina
Tua sina
É um sinal
Encantado

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Ousar ser é um segredo
Que deténs ao ires além
Do modo que convém
Ser lido

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Tamanho era o lanho no ventre
Que entre o espasmo e o grito
Nasciam meninos sem conta
E tanto que canta o poema

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Feito o mar e o céu de noite ao luar
Um reflexo sobre a pele, e depois dele o fundo nu do mistério do amor

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Não te surpreende
Se o imenso
Se resumir
Em folha seca

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres O boneco
É o caneco
Onde bebo
O mundo
Molha o que
Em mim
É seco
Me olha
No vão
Mais fundo

#perifeérico
3mon

» LOG IN to write comment.

renatotorres Teus olhos de ressaca
São a faca a boca a barca
São a noite atravessada
Num travesseiro naufragado

Teus olhos de fado embebidos
D'um líquido transido a nado
São contrafações do nada
Onde tudo é posto à prova

Teus óleos à cova das órbitas
Desordenadas, são a curva e
A envergadura das latitudes
A embriaguez de tais virtudes
Engalanadas do próprio engulho

Teus olhos contra o entulho
Enfadonho do mundo cotidiano
São o entalhe macio do sono
Com que douras meu olho nu.

#perifeérico
4mon

» LOG IN to write comment.