piangers Homem que brinca de boneca

Minha primeira filha não foi planejada e demorei um tempo até entender porque minha mulher - minha namorada, na época - ficou tão nervosa quando aquelas duas listrinhas apareceram no teste. Eu sempre quis ser pai, uma espécie de substituição inconsciente daquilo que eu não tive quando era criança, e não fiquei nervoso com a notícia. Afinal, não era meu corpo que iria mudar. Não era minha profissão que iria mudar. Pra ser sincero, mal seria a minha vida que iria mudar - eu teria ainda nove meses de cerveja, amigos e futebol, não é mesmo? Talvez mais, se a Ana tirasse tudo de letra.
Fui me flagrar do que é ser pai no dia do parto. As pessoas tem aquela visão romântica, dizem que é o dia mais maravilhoso da sua vida. Quando o obstetra, amigo da família, disse naquela manhã de domingo: “Vamos fazer a cesária?”, fiquei chocado. “Com toda essa naturalidade, doutor! Espere aí! Eu não estou preparado!”. Mas a minha mulher estava, depois de nove meses de espera, e dor, e desequilíbrios hormonais. Não achei romântico nem mágico, achei brutal e sangrento. E, de noite, depois que todas as visitas inconvenientes foram embora, minha mulher estava exausta e minha filha chorava. Chamei a enfermeira, perguntei se ela poderia fazer algo para a criança dormir. E ela riu, e me olhou nos olhos e disse: “Agora é com você”. Ali virei pai.
Para o homem, a descoberta da paternidade vem aos poucos. A gente passa anos pra se acostumar com a ideia. Não fomos treinados, não brincamos de casinha, não ganhamos bonecas. Alguns homens acham que tudo isso é coisa de mulher, mas eu acho que não. A gente deveria ter treinamento desde pequeno, pra entender a importância de dividir as funções. Talvez, os homens crescessem mais sensíveis, gentis, mais cuidadosos com o sentimento dos outros.
Esses dias eu estava entre bonecas e minha filha pequena. Demos papinha, colocamos uma roupinha quente, passeamos com a boneca de carrinho pela sala. “Um dia eu e você vamos casar, né pai?”. Respondi: “Papai já casou com a mamãe. Você vai casar com alguém mais legal ainda que o papai”. Alguém que está por aí, em algum lugar. Brincando de bola, de bicicleta, ou de boneca.
11h

» LOG IN to write comment.

piangers Aurora, quatro anos hoje. (= @maezinhavaicomasoutras e @asguriasdecor) 3d
  •   romulomarcellus Sua áudio coluna na Itapema sobre o nascimento da Aurora e a "perda do trono" hoje dia 23/08 foi emocionante!!!! Tenho dois filhos Bernardo de 6 anos e o Arthur de 4 anos me identifico muito com suas colunas, e também passo pela difícil tarefa de ser justo com os dois. Tentar criar filhos honestos, justos e dignos de respeito, num mundo como o de hoje, não está fácil. Abraço 22h
  •   manhulemos @cacauregina , que nome lindo! 1h

» LOG IN to write comment.

piangers Estou dando dicas da nossa viagem até a Flórida no perfil do @visitflorida_brasil - falo sobre hospedagem, alimentação e os pontos turísticos que a gente mais gostou! Dá uma olhada lá e no facebook.com/VISITFLORIDABrasil 6d

» LOG IN to write comment.

» LOG IN to write comment.

piangers Mundo melior
Eu adorava quando a Aurora tinha dois anos recém feitos e me explicava detalhadamente como caiu e se machucou na escola. “Dadadadadá dadá, dadá dadá dadadadaá”. E ela ia descrevendo, com mímica, como o colega esbarrou nela e ela caiu e machucou o joelho mas conseguiu se levantar. “Dadadá dadá!”, explicava, com a cara séria. Eu ouvia prestando bastante atenção, fazendo perguntas, pedindo mais detalhes. Era como estar no seriado CSI, só que contracenando com os Minions.

Quando a Anita tinha três anos e começou a compôr canções. Eram canções comerciais, inspiradas em propagandas que ela tinha visto. Um dia me chamou: “Pai, fiz uma música”. Respire fundo que lá vem o jingle. A letra era: “Minha bolsa, onde é que está? Minha casa, onde é que fica? Devassa, minha cerveja favorita”. Juro. Fiquei chocado e constrangido. Chocado porque o jingle era realmente bom, tinha coerência na confusão mental das primeiras frases e o produto anunciado. Constrangido porque provavelmente eu deveria parar de beber na frente das crianças. Elas chamam minha cerveja de “suco do papai”. A Anita devia ter uns três anos quando eu expliquei pra ela que tínhamos que trancar a casa para que nenhum ladrão entrasse. Ela, então, disse: “Na minha opinião os ladrões deveriam entrar na nossa casa e, ao invés de roubar coisas, deixar presentes”. No mundo dela, o ladrão ideal seria o Papai Noel.
Pais estão sempre com algo nos bolsos dos casacos. Ou fraldas, ou bicos, ou bonequinhos de dinossauros. Já sinto saudade dessa época.
Há alguns anos, a Anita começou a usar meu computador. Fui checar o histórico de pesquisas no Google e uma das coisas que ela tinha pesquisado era: "mundo melior”. Ela estava procurando por um mundo melhor.
Eu também estou, filha.
Imagino que é quando estamos juntos.
2w

» LOG IN to write comment.

piangers O Dia das Mães de Ferro

Na televisão você vai ver imagens de uma mulher arrumada, maquiada, magra, lindíssima, brincando com o filho no sofá. Uma música emocionante, a câmera focando os dois de perto, uma luz bonita entrando na lente, os dois sorrindo e dando gargalhadas, trocando afagos. No final do vídeo alguma marca vai aparecer, desejando a você parabéns pelo seu dia.
No Facebook todo mundo terá fotos com a mãe. Todos dirão “hoje é dia da melhor mãe do mundo”. Todas as mães serão as melhores mães do mundo e, realmente, talvez todas sejam.
Mas esse texto é pra você que não recebeu homenagens.
Esse texto é pra você que não é maquiada, nem lindíssima e magra e não tem filhos ainda em idade pra prestar qualquer homenagem. É pra você que tem que fazer tudo sozinha, trabalhar, limpar, acordar cedo, sair tarde do trabalho, pagar contas, ficar presa no trânsito. Você que cria seu filho sozinha. Você que foi abandonada.
Você que foi largada pelo pai da criança, que “não estava esperando esta notícia”, que queria tirar o bebê, que “não tem condição de assumir”, que era "muito novo pra ser pai”. Você que foi chamada de vagabunda, “quem mandou transar sem camisinha”. Você que teve seu estudo interrompido, sua vida profissional prejudicada, sua relação com seus pais abalada, sua honra manchada.
Você que sentiu vergonha de todo mundo: esse texto é pra você.
Esse texto é pra te dizer que você pode não ser aquela mulher da propaganda, você pode não ser a mulher mais linda do mundo, a mãe perfeita que dá conta de tudo e está sempre bem. Mas o mundo é melhor porque você existe. Você é de verdade. Imbatível e inquestionável.
Esse texto é pra te dizer: eu sei que não é fácil. Você é a minha mãe chegando atrasada em apresentações escolares, pagando todas as contas, cozinhando, passando, limpando, gritando e levando tudo sozinha. Você é a minha mãe, uma rainha. Obrigado, mãe. Você é uma guerreira. O mundo todo contra, e você de pé. Ninguém derruba você.
Nesse Dias das Mães, se você estiver se sentindo sozinha, esse texto aqui é pra você. Nós estamos aqui. Nós estamos torcendo por você.
Feliz Dia das Mães.
3w

» LOG IN to write comment.

piangers Você vai entender quando crescer
Porque eu tenho que ir pra escola? Porque eu não posso passar o dia no videogame? Porque eu não posso ir sozinha no shopping? Porque tenho que esperar ter 18 anos pra dirigir? Quando a gente era jovem, também fazia todas essas perguntas. Nossos pais diziam: "você vai entender quando crescer". Era uma resposta terrivelmente frustrante.
Para uma criança, a pior coisa é ser lembrado de que é uma criança. Crianças querem ser dez anos mais velhas, adolescentes querem ser dez anos mais velhos, jovens querem ser dez anos mais velhos. Velhos querem ser trinta anos mais novos. "Porque você não fala sobre quem é meu pai?", era a pergunta que eu mais fazia pra minha mãe. "Você vai entender quando crescer", ela dizia. Eu iria entender quando fosse dez anos mais velho, vinte anos mais velho, quando tivesse meu próprio filho. Quando eu fosse pai, entenderia a minha mãe. Aquilo me deixava revoltado. Eu já sabia de tudo sobre a vida é ela me dizendo que eu só entenderia depois de velho. E, surpresa: agora que sou pai, entendo.
Minha mãe não falava sobre quem era meu pai porque ela tinha medo que eu o procurasse. E que eu me decepcionasse. Porque, é claro que eu iria me decepcionar com um homem que abandonou uma mulher grávida. Todas as pessoas que eu conheço que foram atrás de seus pais biológicos se decepcionaram. E, o que elas esperavam de um homem que não quis ser pai? O que eu esperava? Eu achava que sabia de tudo, mas não sabia de nada. Obrigado, mãe. Agora eu entendo.
Você vai entender quando crescer. Quando tiver filhos entenderá seus pais. A gente só aprende a ser filho quando vira pai. E, dizem, só aprende a ser pai quando vira vô.
Que deslumbrante é essa nossa passagem por aqui.
1mon
  •   chelliglutz Pasma com a quantidade de pessoas pedindo curtidas e divulgações do seu trabalho nos textos do piangers, não dão a mínima para as reflexões dele e querem que ele se importe com os comentários de vcs. Mandem inbox, tenho certeza de que ele daria atenção. 1w
  •   ana.wink Pura verdade. O que esperar, né? :( 1w

» LOG IN to write comment.

piangers Pouca coisa para ser feliz 1mon
  •   giaconpaola @juniortoni_ pouquíssima! E ainda bem que a gente consegue ver isso! 4w
  •   cacacolorada Que amor, Marcos!!!!!! 3w
  •   ginggababyekids 3w
  •   martinsrs O Almir , ops , Pi Angers cadê meu ingresso pro Sky box no domingo .. Eu nunca fui a nenhum estádio olhar jogo , bem que podia dar um par pra eu e meu filho ver a final gauchão #tamujunto 3w

» LOG IN to write comment.

piangers A @gisellesauer acaba de lançar Brincar, Clicar, Amar! O livro traz as fotos incríveis da Gisa e dicas de como fotografar a criançada. É incrível. O nosso chegou hoje. 1mon

» LOG IN to write comment.

piangers A maior surpresa de escrever sobre filhos é descobrir outros pais apaixonados pela paternidade. Tive a felicidade de conhecer dois: @fotografilhos e @eupapai
Tô sentindo que tem um movimento aí. Um movimento de pais presentes e participativos.
Sigam-nos os bons.
1mon

» LOG IN to write comment.

piangers O poder do "eu te amo" .
"Tuas filhas te acham bonita?", a Anita perguntou pra uma amiga nossa. A Anita tem esse dom de fazer perguntas constrangedoras, e aguarda a resposta sem esboçar nenhuma vergonha, enquanto eu enrubesço. "Não, eu acho que elas não me acham muito bonita, não". Nossa amiga estava em um dia de auto-estima lá embaixo. A Anita, sem notar nenhum problema no diálogo, emendou: "Mas você fazia carinho nelas? Você fala que ama elas? Porque isso faz toda a diferença pra te acharem bonita". Não sei onde ela aprendeu isso, mas faz todo sentido. O "eu te amo" tem poder. .
.
O "eu te amo" muda vidas. O "eu te amo" causa explosões e pernas bambas. Um "eu te amo" não dito pode ser a vida que podia ter sido e não foi. O "eu te amo" muda histórias, deixa pessoas mais confiantes, massageia o espírito. Casais ficarão juntos, filhos se sentirão confortáveis. Pais ouvirão "eu também te amo". Às vezes, digo "eu te amo" só pra receber um de volta. O "eu te amo" melhorou minha relação com a minha mãe. Às vezes, insisto em dizer, mesmo que esteja meio cansado das ligações dela no meu telefone fixo. Telefone fixo só serve pra ligação de mãe e telemarketing. .
.

Lembro quando falei "eu te amo" pela primeira vez pra minha madrinha. Ela ficou muito emocionada. Agora, fala "eu te amo" sempre que conversamos. Lembro quando minha filha disse "eu te amo" pela primeira vez pro meu sogro. Avesso a sentimentalismos, o velho começou a chorar. Disse que deveria ter dito mais isso aos filhos. Mas, acho que já era muito tarde pra começar. Ele não quis distribuir "eu te amo" depois de velho. Até tentava, mas ficava constrangido. .
.

O "eu te amo" constrange. O "eu te amo" liberta.
Nunca é tarde pra começar a praticar.
1mon

» LOG IN to write comment.

piangers O pai perfeito

As meninas estão no quarto, brincando, enquanto escrevo isso. Minha filha mais velha acabou de puxar papo e eu disse que não podia falar agora. Preciso trabalhar. Ela me pediu desculpas e saiu. Acho que fui um pouco grosseiro com ela.
Uma senhora me parou no aeroporto na semana passada. Ela era de Curitiba. Foi tremendamente carinhosa, disse que adora os textos, que a palestra a fez chorar várias vezes. Mandei o vídeo pra toda família. Essas coisas que você só pode responder com muito obrigado, com fico agradecido, com obrigado pelo carinho. Eu coloco a mão no peito, tento dizer com mímica o quanto meu coração dá uma aumentadinha quando ouço essas coisas. Obrigado, de verdade. Muito obrigado. E a senhora disse: “Suas meninas tem muita sorte”. Com isso não posso concordar. O sortudo sou eu. Já fui desatento, relapso, ausente, bêbado. Já tratei mal minha mãe, minha esposa, minhas filhas. Já quase nos separamos. Ainda hoje sou mal humorado, fico quieto demais durante almoços, trabalho demais. Às vezes eu e minha mulher vamos guardando um monte de pequenas mágoas, e quando a gente coloca tudo pra fora sinto que ela me odeia um pouquinho. Ela deve sentir a mesma coisa.
Se existe pai perfeito, ele não mora aqui em casa. Pai não é o cara que não erra, é o cara que está lá. O cara que está presente, errando atrapalhadamente, tentando acertar. Miseravelmente arrependido dos erros. É impossível não errar, estando presente. Eu erro o tempo todo. Errei agora a pouco, quando fui grosseiro com a minha filha. Estou errando agora por não me levantar dessa cadeira e dar um abraço nela.
Me dêem um minuto.
Estou de volta.
Apenas pra dizer que agradeço àquela senhora do aeroporto, por tudo o que disse. Agradeço tudo o que falam sobre os textos, os vídeos, as palestras. Mas o pai perfeito não está aqui. O pai perfeito está aí do seu lado, precisando de lições constantes. Estamos aprendendo todos os dias. A sorte não é das minhas meninas. É minha.
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers A gente não tem vergonha de ser simples. Eu to sempre com as mesmas camisas, as meninas se vestem com roupa de brechó. Mas hoje rolou essa barbada histórica: um dia no parque, tudo de graça, a criançada era só risada e deslumbre. A gente também. Todos os dias eu aprendo com elas a não perder o deslumbre e a curiosidade de uma criança pequena. Obrigado @visitflorida_brasil, pelo dia de riqueza. Amanhã, vida real. De volta ao dia a dia. Tarefa escolar, briga pra tomar banho, come mais um pouquinho. E, se você parar pra pensar, esse cotidiano, essas trivialidades familiares tem algo de mágico. Nossos filhos são pequenas fadas, jogando pó mágico na nossa cara todos os dias. Azar de quem não percebe.
#SelfieFL #LoveFL
2mon

» LOG IN to write comment.

» LOG IN to write comment.

piangers Ensopados de chuva e lama em um passeio de barco no pântano da Flórida.
Valeu @visitflorida_brasil pelo convite! Tá sendo animal nossa primeira vez juntos nos EUA.
#SelfieFL #LoveFL
#MyKissimmee
Facebook Kissimmee: www.facebook.com/experiencekissimmee
Instagram: @experiencekissimmee ------- Website: http://wildfloridairboats.com/
Facebook:https://www.facebook.com/Wildfloridairboats
Instagram: @wildfloridairboats
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers Fomos ao zoológico de crocodilos e logo em seguida a um restaurante típico local, Barnacle Bills. O prato sugerido: carne de crocodilo. A Anita ficou emocionalmente abalada: "como vocês podem ver um animal pela manhã e comê-lo no almoço?!?". Ela tem planos de virar vegetariana. Perdeu uma deliciosa iguaria.
#LoveFL #SelfieFL #StAugustine
Visit Florida tem dicas pra quando você vier pros EUA:
@visitflorida_brasil
http://facebook.com/VISITFLORIDABrasil

Abraço para o pessoal do @floridashistoriccoast
Ps: o jacaré da foto é de mentirinha.
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers Apesar da aparente calma da Lola na foto (seria aquilo um monóculos?) hoje foi um dia meio assustador pra menina: crocodilos, museu de bizarrices e as incríveis escadas do farol da cidade exigiram coragem e muito "pai, quero colo". Varias fotos em breve!

#StAugustine #SelfieFL #LoveFL
Facebook St. Augustine: www.facebook.com/officialstaugustine
Instagram:
@FloridasHistoricCoast
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers Tirando onda no nosso castelo. --- Depois de um vôo tranquilo (milagrosamente, a Aurora derrubou apenas um suco de uva e um pudim nas minhas calças, a garota está evoluindo), desembarcamos em Orlando e viemos direto pra St. Augustine, a cidade mais antiga dos EUA. A cidade é bonitinha, tem um museu de pirata irado que a Anita adorou, e é cheia de turistas (nós contribuímos para aumentar a estatística). Em breve: jacarés, praia, balões e Minnie! ------ #LoveFL #SelfieFL #StAugustine
Facebook St. Augustine: www.facebook.com/officialstaugustine
Instagram: @floridashistoriccoast
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers Aconteceu mais uma coisa maluca na nossa vida: fomos convidados pra viajar pros EUA e conhecer os parques da Flórida, com toda a família.

Vai ser minha primeira vez na Flórida, a primeira vez das meninas nos EUA, nossa primeira vez da Disney.
Todo mundo aqui animado (Até demais! Oito horas de vôo com a Aurora vai ser desafiador). A gente atualiza vocês logo mais.
#loveFL #selfieFL
Visit Florida no Facebook
http://bit.ly/1pZQIpq

Visit Florida no Instagram
@visitflorida_brasil
2mon

» LOG IN to write comment.

piangers Se tivermos sorte

Existe um ditado irlandês: "É melhor ter sorte do que ser rico". Adoro este ditado. Quero ter sorte. Uma vez um colega disse, desdenhando de um "boa sorte!", que sorte é para incompetentes. Que seja. Vou optar pela sorte. Agradeço todos os dias pelas coisas boas que me aconteceram, que não tem explicação científica alguma. Alguns chamam isto de Deus.
Me lembro até hoje do Pietro, um garoto raquítico de pele muito branca que todos gostávamos porque tinha o videogame mais legal e sempre nos convidava para ir na sua casa. Ele ganhava um presente toda vez que tirava uma nota boa. Ele ganhava um presente realmente caro sempre que passava de ano. Eu tinha inveja do Pietro. Toda vez que eu tirava nota boa minha mãe falava: "Não fez mais que a obrigação". Passava de ano e ouvia: "Nao fez mais que a obrigação". Era o melhor da turma e "não fez mais que a obrigação". Ouvi falar esses dias que o Pietro destruiu seu carro novinho dirigindo bêbado. Fiquei chocado. Me fez pensar na influência negativa de pais que nunca dizem não pros filhos. Mas pensei também na influência de bons pais. Será que teremos sorte?

Pais atenciosos, esses que passam horas estudando com os filhos, pais que conversam, que dizem não, esses pais podem, por alguma razão inexplicável, ter filhos mal sucedidos. Ter filhos que fazem coisas erradas. Imaginem que tristeza é, para um pai dedicado, não ver seu filho brilhar. Que mundo injusto é esse, em que nós, humanos, somos tão imprevisíveis.
Se nossos filhos serão brilhantes, não sabemos. Aproveitamos cada momento torcendo pra que sim. Se tivermos sorte. Se tivermos sorte serão decentes, bem-sucedidos, ajudarão outras pessoas, mudarão o mundo. Se tivermos sorte. Serão bondosos, reconhecidos, sorridentes e educados. Se tivermos sorte. Terá valido a pena as noites em claro, às vezes que não pensamos no trabalho, as tardes de estudos, a dedicação, as conversas, a abnegação. Teremos feito tudo isso e, talvez dê certo, talvez não.
Se der certo, seremos os pais mais felizes do mundo.
Não teremos feito mais que a obrigação.
2mon

» LOG IN to write comment.